Mãe, que não sabia quem era o pai do filho, coloca o sobrenome do ex e atual na certidão de nascimento

O registro multiparental aconteceu em Florianópolis (SC). Entenda o caso. Embora atualmente exista testes modernos, como o de DNA, para identificar a paternidade, uma mulher de Santa Catarina se recusou a fazer para descobrir quem era o pai do seu filho e quis colocar o sobrenome dos dois na certidão de nascimento da nascimento.

Segundo o site NSC, ela deu à luz ê em fase de transição entre o atual e o ex-companheiro negou-se a fazer teste de DNA para elucidar o enigma da paternidade.

O atual companheiro, independentemente da situação, tem a criança como se fosse dele.

Já o ex-companheiro, garantiu que o bebê só podia ser seu porque a data que engravidou batia totalmente com a época em que estavam juntos.

A justiça catarinense, com base em jurisprudência do STF, resolveu o caso de forma e determinou que a criança terá em seu registro os nomes da mãe, do pai socioafetivo e do pai biológico.

Clique na seta amarela abaixo, após a publicidade, para continuar lendo.

PRÓXIMA PÁGINA
1 / 2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *