Louro contra a ansiedade: um remédio milenar ao seu alcance

Embora seja muito eficaz em forma de infusão ou como aromaterapia, devemos evitar consumir diretamente a folha de louro, já que ela pode ser tóxica.

O louro oferece sabor aos nossos pratos, calma à nossa mente e saúde ao nosso organismo.

Este arbusto usado desde a antiguidade por todas as culturas do Mediterrâneo conta, até hoje, com a mesma relevância.

Além de suas clássicas propriedades expectorantes, o louro tem em suas folhas uma infinidade de benefícios para a mente e o corpo.

É um tempero muito clássico na cozinha, e sua simbologia segue refletindo o “triunfo” em muitas culturas.

A clássica coroa de louro não é mais do que a expressão desta planta rica em recursos, virtudes e maravilhas que todos temos ao nosso alcance.

Convém recordar, no entanto, que o louro não pode ser consumido. Podemos fazer infusões, vapores, ele pode ser usado como condimento no arroz, feijão, etc.

Na hora de servir o prato ou bebida devemos retirar as folhas da planta.

A seguir, explicamos um de seus usos mais conhecidos: ajudar a combater a ansiedade.

 

As propriedades do louro para tratar a ansiedade

Estamos diante de uma planta medicinal. Dentro do campo dos tratamentos naturais, o louro é usado desde sempre como tônico estomacal.

É um bom digestivo e, além disso, combate todo tipo de inflamações. Nos permite absorver melhor os nutrientes e, graças a sua fragrância, estimula o apetite.

No entanto, como já indicamos antes, esta planta não deve ser mastigada nem engolida.

Ela só é tóxica se for ingerida em grandes quantidades, mas como sempre ocorre quando falamos de plantas medicinais, a chave de seu benefício está em consumi-las nas doses exatas e adequadas.

Vejamos a seguir quais propriedades caracterizam esta planta de origem mediterrânea.

Depura seu organismo e regula sua respiração

O louro é a planta do equilíbrio e do relaxamento.

Estas características quase “espirituais” possuem virtudes muito pontuais para melhorar desde a nossa circulação, a função digestiva e até a hepática.

Clique na seta amarela abaixo para continuar lendo.

PRÓXIMA PÁGINA
1 / 4

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *