Com autismo e altas habilidades, curitibana de 15 anos vai cursar medicina na UFPR

A curitibana Natãmy Nakano, de apenas 15 anos, que mora em São José dos Pinhais, na Região de Curitiba, vai cursar medicina na Universidade Federal do Paraná (UFPR), o curso mais concorrido da instituição, a partir deste ano.

Portadora de um Transtorno do Espectro Autista (TEA), chamado Síndrome de Asperger, ela tem altas habilidades e superdotação.

A adolescente, que aprendeu a ler aos dois anos, gabaritou 10 de 14 questões, sendo que acertou parcialmente as outras quatro.

A matrícula do curso foi feita na terça-feira (22), e o início das aulas está marcado para 4 de fevereiro.

“Se você tem um sonho, você tem que realizar independente da barreira.

Estamos vivos, nada é por acaso.

Com esforço podemos conquistar até mais coisas do que uma pessoa considerada normal”, diz Natãmy.

Filha única, a menina teve um problema de incompatibilidade sanguínea logo após nascer, que poderia ter deixado ela em estado vegetativo, conta Andréia Pichorim, que define a filha como “poço sem fundo de conhecimento”.

“Não sabíamos qual seria o futuro dela, e então começamos a estimular desde cedo.

Lia livros massageando a barriga, e depois de nascer interagíamos com ela o tempo todo com brincadeiras e atividades”, conta a mãe.

Mais tarde, depois da descoberta da síndrome, Natãmy também desenvolveu hipersensibilidade nos sentidos, o que causa incômodo e até dor física com cheiros, barulhos, luzes, roupas, etiquetas e até alimentos.

Segundo a mãe, que também é portadora da Síndrome de Asperger e altas habilidades, um tumor no cérebro que ela teve quando a filha tinha dois anos ajudou a despertar o desejo da menina pela medicina.

Clique na seta amarela abaixo para continuar lendo.

PRÓXIMA PÁGINA
1 / 3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *