Cientistas seguiram uma tartaruga durante o furacão Florence, e isso foi o que descobriram

Cientistas seguiram Isla, a tartaruga, através do furacão Florence que atingiu o Oceano Atlântico em setembro deste ano.

A tartaruga-de-couro, também chamada de tartaruga-gigante, estava sendo rastreada desde 5 de maio, quando uma equipe da organização sem fins lucrativos Florida Leatherbacks Inc se aproximou da fêmea enquanto ela botava ovos na areia de uma praia da Flórida.

Trabalhando rapidamente, os cientistas perfuraram dois pequenos buracos em seu casco, adicionando um pequeno transmissor a ele.

Nos meses seguintes, os membros da instituição observaram Isla visitando a praia mais uma vez para colocar mais ovos, antes de iniciar sua migração para o norte no final do verão, ao longa da costa leste americana.

No meio da tempestade

Isla se encontrou com Florence em Outer Banks, uma ilha da Carolina do Norte. No começo, parecia que ela seria pega na enorme tempestade enquanto deslizava pela costa.

Felizmente, ela passou ao norte do pior momento do furacão, mas ainda experimentou mar agitado. Mesmo antes da tempestade, ela emergiu em uma área onde as ondas atingiam mais de 4 metros de altura.

“As tartarugas precisam vir à superfície periodicamente para respirar, mas eu suspeito que muitas mergulham abaixo da superfície para resistir às tempestades”.

Essa frase foi dita pela Kate Mansfield, diretora do Grupo de Pesquisa de Tartarugas Marinhas da Universidade da Flórida Central (EUA) ao portal Popular Science.

PRÓXIMA PÁGINA
1 / 3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *