15 vilãs de novelas que vão atormentar sua memória para sempre

Não são poucas as vezes que a vilã rouba não só os personagens da novela, mas também a cena e conquista o público.

Não importa se as vilanias são para defender a família, conquistar um amor ou melhorar de vida, fato é que as rivais das mocinhas muitas vezes são interessantes, bonitas, misteriosas e até engraçadas.

A notícias UOL preparou uma lista com algumas das carismáticas malvadas que fizeram sucesso nas tramas da Globo.

1. Nice (“Anjo Mau”, 1976)

O nome da novela entrega: carinha de anjo e gênio mau. Vivida por Suzana Vieira, a bonita, pobre e dissimulada Nice queria ser rica e madame a qualquer custo.

2. Odete Roitman (“Vale Tudo”, 1988)

Arrogante e mesquinha, a vilã é uma das mais queridas da história das novelas. A personagem interpretada por Beatriz Segall gostava de garotões, mas não suportava a vida no Brasil e menos ainda os brasileiros.

3. Maria de Fátima (“Vale Tudo”, 1988)

Bastante egoísta e ambiciosa, a personagem vivida por Glória Pires não media esforços para se dar bem e subir na vida. Nem mesmo sua mãe Raquel (Regina Duarte), que teve a casa onde morava vendida, escapou de suas maldades.

4. Joana (“Fera Radical”, 1988)

A matriarca dos Flores odiava Cláudia (Malu Mader), que voltou para a cidade para vingar a morte de toda família.

Com a intenção de impedir o casamento de seu filho predileto com a rival, a personagem representada por Yara Amaral tenta tirar a futura nora e, durante a discussão, confessa ter planejado e executado o massacre que deixou a mocinha órfã quinze anos antes.

5. Perpétua (“Tieta”, 1989)

A ultra conservadora e fanática religiosa era a personificação do inferno na vida da irmã Tieta (Betty Faria).

Sempre de luto, a vilã feita por Joana Fomm chamava a irmã de quenga, mas guardava no armário uma misteriosa caixa branca.

6. Raquel (“Mulheres de Areia”, 1993)

A irmã gêmea da doce Ruth era tão ruim que destruía até as esculturas de areia feitas por Tonho da Lua (Marcos Frota).

Para sair da vila de pescadores onde morava e subir na vida, a personagem vivida por Glória Pires roubou o namorado da irmã e assumiu sua personalidade.

7. Adma (“Porto dos Milagres”, 2001)

A vilã fazia o que fosse necessário para defender os interesses do marido Félix (Antonio Fagundes) e não pensava duas vezes em passar por cima de quem tentasse obstruir seu caminho.

Clique na seta amarela abaixo, após a publicidade, para continuar lendo.

PRÓXIMA PÁGINA
1 / 2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *